Empoderamento de mulheres ajuda a diminuir desigualdades sociais

Empoderamento de mulheres

Como reduzir as desigualdades sociais? Um dos caminhos é criar oportunidades para geração de renda e foi essa a escolha da Águas de Ariquemes, unidade da Aegea em Rondônia (RO).

No sul do país, a Ambiental Metrosul, Parceria Público-Privada da empresa em Porto Alegre (RS), também está investindo na formação de pessoas para uma sociedade mais igualitária. Nas duas, o foco são as mulheres.

Mãos e Obras

A capacitação de mão de obra local é um dos principais objetivos do programa que foi lançado no final de março pela Águas de Ariquemes em parceria com a prefeitura municipal por meio de órgãos municipais. 

O Mãos e Obras é destinado às mulheres em estado de vulnerabilidade de Ariquemes. Com a intenção de melhorar a qualidade de vida dos moradores por meio da  sustentabilidade social, o programa capacita, incentiva o empreendedorismo e fomenta a economia na cidade.

Reunidas no espaço social da Águas de Ariquemes, durante três dias as mulheres têm aulas 100% práticas. Uma das oficinas é a de Sabores e Saberes. Aprendem a preparar doces, trufas e ovos de Páscoa.

Educação financeira e marketing digital no cardápio

As alunas também recebem orientação sobre educação financeira e marketing digital. No final do curso, recebem certificado e uma cesta com ingredientes e materiais para começarem a produzir e a vender a produção.

O lançamento do Programa Mãos e Obras contou com a palestra de Vanessa Andrade, responsável pelo setor de Recursos Humanos da Águas de Ariquemes, com o tema “Empoderamento Feminino”. 

O curso está sendo recebido com muita empolgação entre as alunas. A expectativa, segundo a secretária Municipal de Desenvolvimento Social de Ariquemes, Rodneia Gouveia, é empoderar as mulheres para que elas vençam os desafios individuais.

Investimento em pessoas

Estamos investindo em pessoas“, diz o diretor-presidente da concessionária Águas de Ariquemes, Eduardo Lana. Há quase 3.400 km de distância, outra unidade da Aegea atua com a mesma finalidade. Para estimular a inserção das mulheres no mercado profissional, a Ambiental Metrosul (RS) inovou.

Criou uma capacitação para ligação intradomiciliar de esgoto, que é o sistema interno pelo qual o esgoto gerado na residência é direcionado à caixa de inspeção na calçada, conectada à rede pública.

O curso foi idealizado a partir de uma necessidade identificada pela PPP ao longo do primeiro ano de atuação, quando os proprietários dos imóveis, responsáveis por essa ligação, manifestaram dificuldades em fazer o sistema ou em encontrar profissionais habilitados para tal.

Melhoria na fonte de renda das famílias

Nesse sentido, aborda desde os materiais necessários e a execução conforme os padrões técnicos, além de informações sobre a importância do serviço de coleta e tratamento de esgoto. As alunas aprendem também como o sistema deve ser utilizado de forma adequada.

A realização conta com a participação das secretarias de Educação, Cidadania e Direitos Humanos e de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente do município. E com a parceria da LM Construções. A primeira turma, com 18 alunas, foi formada em Esteio (RS) e, posteriormente, o curso será implementado nas demais cidades atendidas pela empresa.

Mulheres recebem as ferramentas para trabalhar

Para o diretor-presidente da Ambiental Metrosul, Ângelo Mendes, mais do que oferecer ao mercado de trabalho profissionais preparadas para um segmento em ascensão, a expectativa é que o projeto contribua para melhorar a renda das famílias, muitas delas lideradas por mulheres. Por isso, a PPP fornece o material didático e o conjunto de ferramentas para que as encanadoras possam trabalhar após a capacitação.

Pular para o conteúdo