Mais de 10 milhões de pessoas serão beneficiadas com projetos da Aegea no Rio de Janeiro

Reuniao Rio de Janeiro

Em evento promovido pelo governo do estado com os prefeitos fluminenses, a Aegea apresentou, no dia 16 de junho, os planos de investimentos em saneamento da nova área de concessão que a empresa assumirá em agosto. As ações beneficiarão mais de 10 milhões de pessoas e serão executadas em 18 bairros da zona sul, 106 bairros do Centro e da zona norte do Rio de Janeiro, além de 26 cidades fluminenses. Por meio do consórcio formado por Grupo Equipav, GIC (Fundo Soberano de Singapura) e Itaúsa, todos acionistas da Aegea, a companhia venceu, no dia 30 de abril, a disputa de dois dos quatro blocos da concorrência pública promovida pelo Estado do Rio de Janeiro com a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae).

Os marcos dos investimentos

O diretor da Aegea RJ, unidade que será responsável pelos projetos, Alexandre Bianchini, destacou alguns marcos da nova concessão, como recuperação ambiental da Baía de Guanabara a partir das obras de saneamento e a melhora dos serviços de fornecimento de água e coleta e tratamento de esgoto para milhões de cariocas e fluminenses. Segundo Bianchini, nos próximos cinco anos, estão previstos investimentos de R$ 2,6 bilhões para a despoluição da Baía de Guanabara, quando será feito um cinturão de isolamento ao redor da baía, adotando o sistema de coleta em tempo seco para a retenção do despejo de esgoto in natura.

“A Aegea vem se preparando há anos para assumir essa concessão. Temos certeza de que em cinco anos daremos um salto com as obras de saneamento para a recuperação ambiental da Baía de Guanabara e da Bacia do Guandu. Neste período, os moradores da nova área de concessão já sentirão os efeitos dos investimentos tanto nos serviços de água e esgoto da cidade do Rio como em toda a Região Metropolitana, sem contar com os municípios do interior do estado atendidos pela companhia”, afirma Alexandre Bianchini, diretor da Aegea RJ.   

Outro marco importante será a recuperação ambiental e melhoria da qualidade de água da Bacia do Rio Guandu, principal manancial que abastece o Rio de Janeiro e a Região Metropolitana. Vale ressaltar que a captação e o tratamento da água continuam sob responsabilidade da Cedae. Além disso, serão investidos R$ 1,2 bilhão na regularização de 526 áreas irregulares da cidade do Rio de Janeiro, contando com programas de inclusão social, saúde e qualidade de vida. 

Tarifa Social: ampliando acesso ao saneamento

O representante da Aegea no Rio ressaltou ainda que pretende implantar a Tarifa Social para uma fatia maior da população do que a prevista no contrato, e que a empresa fará seu papel social, colocando em prática programas para facilitar a regularização de clientes inadimplentes, muitos deles prejudicados pela crise econômica decorrente da pandemia. 

A Aegea terá direito à concessão por 35 anos, para coletar e tratar o esgoto, além de fornecer água a 10 milhões de moradores do Rio de Janeiro (106 bairros do Centro e da zona norte e 18 bairros da zona sul) e a 26 cidades do estado:Aperibé, Cachoeiras de Macacu, Saquarema, Tanguá, São Sebastião do Alto, Cambuci, Cantagalo, Casimiro de Abreu, Cordeiro, Duas Barras, Itaboraí, Itaocara, Rio Bonito, São Francisco de Itabapoana, São Gonçalo, Magé, Maricá, Miracema, Belford Roxo, Duque de Caxias, Japeri Mesquita, Nilópolis, Nova Iguaçu, Queimado e São João de Meriti.

Pular para o conteúdo