Mais de 300 livros circulam pela Águas do Rio para incentivar a leitura

Mais de 300 livros circulam pela Águas do Rio para incentivar a leitura
Texto: Anne Caroline Silva

Ao longo da história, os livros têm sido instrumento para o desenvolvimento intelectual das pessoas em todo o mundo. Para lembrar o dia 23 de abril, quando se comemora o Dia Mundial do Livro, a Águas do Rio realiza a ação Livro Livre.

Em sua segunda edição, a ideia é seguir a orientação da Unesco e estimular este hábito saudável entre os mais de 700 colaboradores da região leste do Estado do Rio de Janeiro. Mais de 300 exemplares estão circulando livres pelas unidades da concessionária.

Há um ano, os exemplares foram espalhados pelas unidades e os colaboradores que “encontravam” as histórias eram convidados a ler e “libertá-las” novamente, para seguir com o movimento fluindo. 

Erika Santos, assistente Administrativo da Águas do Rio, se sentiu presenteada ao chegar para registrar o ponto “Fiquei muito feliz ao me deparar com esse movimento no ambiente de trabalho. A leitura liberta, cria possibilidades e aproxima pessoas. Adorei!”, disse ela.

Expectativa para novas aventuras vividas a partir das páginas dos livros 

A família do líder da equipe de agentes comerciais, David Stellet, está na expectativa para ter acesso às novas aventuras com a aproximação do Livro Livre. “A iniciativa da leitura dentro da empresa é espetacular, porque ler expande a mente. Lá em casa, todos são apaixonados por livros e minha filha vai ficar feliz quando souber que novas histórias serão distribuídas”, relatou.

A lista de benefícios da leitura é extensa. O cérebro é o órgão mais exercitado durante a prática, porém, de acordo com a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, de 2020, 48% da população não possui hábito de leitura.

Compreender a beleza de cada fonte 

Por compreender a beleza de cada fonte, inclusive a do conhecimento, este ano será lançada na Regional Leste da Águas do Rio a Biblioteca Livre. De forma espontânea e colaborativa, todos terão acesso aos exemplares e zelarão pelo espaço que será disponibilizado para a troca de livros.

A data comemorativa é simbólica e tem origem na história da literatura mundial. Foi no dia 23 de abril que morreram três grandes escritores: o inglês William Shakespeare, o peruano Inca Garcilaso de La Veja e o espanhol Miguel de Cervantes, que disse: “Aquele que lê muito e anda muito, vê muito e sabe muito”.

Skip to content