Mergulhadores profissionais fazem a limpeza de reservatórios

Mergulhadores

Com o auxílio de mergulhadores especializados, concessionárias da Aegea em MS, MT e SC fizeram recentemente a limpeza e manutenção de reservatórios de água em Campo Grande (MS), Camboriú (SC), Penha (SC) e Barra do Garças (MT).

A ação é uma das medidas de preparação das concessionárias para os períodos de altas temperaturas. O mais interessante da técnica é que a ação é executada com os reservatórios cheios e em plena operação, o que evita desperdícios e diminui o impacto no sistema de abastecimento de água.

Técnica em uso na Aegea desde 2019

Muito eficiente, usar mergulhadores na limpeza de reservatórios não é novidade na Aegea. As primeiras unidades a adotarem a prática foram as de Santa Catarina. Desde 2019, Camboriú e São Francisco do Sul utilizam a técnica para a limpeza, que acontece duas vezes por ano (veja mais na edição 23 da Revista Aegea, de abril de 2019). Este ano, os reservatórios de Camboriú, que totalizam cinco milhões de litros, e seis reservatórios em Bombinhas, com capacidade para mais de 3 milhões de litros, passaram por mais uma limpeza periódica. O mesmo ocorreu nas outras concessionárias do estado. A Prolagos, na Região dos Lagos (RJ), também passou a fazer a limpeza dessa forma em 2020.

A limpeza dos reservatórios na Águas Guariroba

Os reservatórios têm capacidade para até 6 milhões de litros e estão localizados nas regiões do Coophasul, Lageado Novos Estados, Moreninhas, Pioneiros e Taveirópolis. Semelhante à limpeza de uma piscina, os mergulhadores utilizam um sistema de aspiração para a retirada de todo o material sedimentado acumulado no fundo dos reservatórios.

Para evitar qualquer contaminação durante a manutenção, o mergulhador é equipado com uma vestimenta impermeável e com uma máscara full face, um tipo de capacete integralmente vedado no qual estão acopladas uma câmera de vídeo, lanterna e microfone. Todo o equipamento é interligado por meio de um duto que garante a livre respiração e também permite resistir à pressão da água.

Do lado de fora, o trabalho é acompanhado por um segundo mergulhador, que monitora em tempo real toda a operação. Essa comunicação permite o envio de ferramentas ou de mais mangueira para ampliar a área de atuação. Além disso, os mergulhadores contam com a técnica de toque por meio de uma mangueira umbilical. Se a comunicação por voz falhar, o profissional pode fazer contato movimentando esta mangueira.

“As operações de limpeza nos reservatórios são medidas preventivas já para a chegada do período de seca no ano. Dessa forma, a Águas Guariroba investiu em um trabalho ágil e inovador para garantir a segurança operacional e a eficiência do sistema de abastecimento de água sem gerar contratempos para a população”, destaca Ítalo Souza, supervisor de Operações da concessionária.

O trabalho dos mergulhadores em Barra do Garças

Situada no centro geodésico do Brasil, Barra do Garças (MT) também adota a técnica de limpeza com mergulhadores especializados. O processo é bem semelhante ao descrito acima. Uma das diferenças é a câmera de vídeo, lanterna e microfone que ficam acopladas ao capacete. O diretor-executivo da Águas de Barra do Garças, Robson Cunha, reforça que os reservatórios foram higienizados em apenas quatro dias.“Investimos nessa inovação pela agilidade na execução dos serviços, é um trabalho realizado com total segurança operacional, sem danos, transtornos ou desabastecimento para à população”, disse.

Pular para o conteúdo