Regenera Cariri é apresentada durante a ExpoCrato

Regenera Cariri é apresentada durante a ExpoCrato
Texto: Breno Noronha e Thamires Figueiredo

No domingo, 09 de julho, no Parque de Exposição Pedro Felício, no Crato, o Consórcio Intermunicipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (Comares) assinou o contrato para atuar nas cidades de Altaneira, Barbalha, Crato, Caririaçu, Farias Brito, Jardim, Missão Velha, Nova Olinda e Santana do Cariri. 

A assinatura, realizada pelo presidente do Comares e prefeito de Santana do Cariri, Samuel Cidade, junto à Regenera Cariri, marca o início do projeto inovador que reforça o pioneirismo da região e potencializa o desenvolvimento sustentável dos municípios. 

Investimentos de R$ 110 milhões em preservação e economia circular

Primeiro projeto cearense consolidado voltado ao manejo de resíduos sólidos urbanos, a Regenera Cariri fará investimentos na ordem de R$ 110 milhões ao longo dos 30 anos de contrato. O projeto promoverá a preservação dos recursos hídricos, a economia circular e a introdução de tecnologia de ponta, garantindo que se estabeleçam condições mais adequadas e modernas no manejo de resíduos sólidos.  

A iniciativa beneficiará mais de 350 mil caririenses, promovendo melhoria ambiental, social e econômica. Nove lixões a céu aberto serão desativados, ação que trará efeito imediato na preservação do meio ambiente, na proteção de mananciais e águas subterrâneas do Cariri – a região abriga o maior aquífero do Ceará.

Novos postos de trabalho e parcerias

Os investimentos vão melhorar a saúde da população, uma vez que haverá redução das internações hospitalares causadas pelas queimadas resultantes da combustão dos lixões. 

Em substituição aos lixões, serão implantadas unidades de triagem, tratamento mecânico, centros de transbordo de resíduos e um aterro sanitário, gerido de forma sustentável e alinhado às especificações do Plano Nacional de Resíduos Sólidos e do Novo Marco Legal do Saneamento.

A previsão é de que sejam criados em média 70 novos postos de trabalho diretos e realizadas parcerias com cooperativas de catadores, promovendo dignidade por meio da melhoria nas condições de trabalho e do incremento de renda. 

Além disso, também será feita a comercialização de materiais resultantes da reciclagem de resíduos e da energia derivada do gás metano gerado dentro do aterro. As atividades trarão novas fontes de renda e incentivos para o comércio local.

Unidades geridas de forma sustentável

A Regenera Cariri ficará responsável pela implantação, operação e manutenção da infraestrutura que promoverá o ciclo de tratamento dos resíduos. A operação vai desde as áreas de transbordo, ou seja, local para recebimento do resíduo coletado nas cidades beneficiadas, até a unidade de tratamento mecânico, com disposição final dos rejeitos no aterro sanitário. 

A infraestrutura do projeto também prevê centros de tratamento municipais para a separação e reciclagem de resíduos variados, e ainda unidades de compostagem que permitirão a produção de material qualificado para o uso como adubo. A coleta do lixo domiciliar permanecerá em responsabilidade das prefeituras das cidades beneficiadas. 

Após a assinatura do contrato, a Regenera Cariri tem o prazo de 14 meses para viabilizar a infraestrutura necessária à gestão adequada dos resíduos. A expectativa é que o investimento promova o manejo adequado, por ano, de 100 toneladas de resíduos, desenvolvendo soluções sustentáveis inovadoras, que contribuam para a preservação do meio ambiente e o avanço histórico nos indicadores de saneamento do Ceará. 

Expertise nacional

Formada a partir de uma parceria entre a Aegea, líder em saneamento privado no Brasil, e a Engep Ambiental, empresa do Grupo Multilixo, que possui sólida experiência operacional e técnica na gestão de resíduos sólidos, a Regenera Cariri chega para fazer grandes transformações.

Logo nos primeiros cinco anos, a meta é reduzir em 80% os resíduos orgânicos que chegam atualmente aos lixões e transformá-los em compostagem. Além disso, no mesmo período, reduzir em 10% a chegada dos recicláveis. 

Para tanto, ocorrerão ações educativas de estímulo à não geração e redução de resíduos, incentivando o reaproveitamento e reciclagem. Com a ação, espera-se que seja destinado ao aterro sanitário apenas os rejeitos do que efetivamente não possa mais ser reaproveitado.

Pular para o conteúdo