Reúso: poupando água tratada

Texto: Gabriela Mendonça

Além de reutilizar o lodo que resulta do tratamento de esgoto, que é transformado em compostagem, a unidade da Aegea no Rio Grande do Sul (RS) também dá novos usos ao efluente – a parte líquida, que é devolvida para a natureza.

A iniciativa é mais uma demonstração de cuidado com o meio ambiente. Ao assumir o serviço de esgoto em nove municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (RS), a Ambiental Metrosul (RS) se deparou com uma situação que precisava ser revista. A limpeza e a desobstrução da rede de esgoto eram feitas com água tratada.

A prática, feita por meio de caminhões hidrojato, usa uma grande quantidade de água. “Mas não há necessidade de ser água tratada, pois, depois de usada, ela voltará para o tratamento na ETE”, explica Fernanda Cenci Silveira, coordenadora de Meio Ambiente da unidade. A empresa passou então a utilizar água de reúso.

Ao invés de despejar na natureza, o efluente já tratado é usado na limpeza das redes de esgoto. Uma estação de tratamento gera, diariamente, cerca de 40 mil litros de água de reúso. A redução chega a um milhão de litros de água tratada por mês. A ação, que começou pela ETE Alvorada, em Viamão (RS), está sendo ampliada.

Outras unidades da Aegea também utilizam água de reúso. A Prolagos (RJ) tem inclusive uma estação de água específica de reúso, a ETAR, na cidade de Armação dos Búzios, com capacidade para mais de 2 milhões de litros por mês.

Pular para o conteúdo