Unidades do Espírito Santo têm treinamento sobre matriz de risco

Unidades do Espírito Santo têm treinamento sobre matriz de risco

Com o objetivo de compartilhar importantes aspectos sobre o contrato que guia as atividades das unidades da Aegea no Espírito Santo, foi realizado em dezembro um evento sobre a matriz de risco dos contratos de concessão. 

Direcionado aos líderes e colaboradores da Ambiental Serra, Ambiental Vila Velha e Ambiental Cariacica, o treinamento trouxe de forma descomplicada conceitos jurídicos e definições de responsabilidade de acordo com o contrato junto ao poder concedente, a Cesan, a Companhia Espírito-Santense de Saneamento.

As unidades são Parcerias Público-Privadas entre a Aegea e a Cesan, a fim de realizar a implantação e a manutenção do sistema de esgoto por 30 anos. As operações tiveram início em 2015 (Serra), em 2017 (Vila Velha) e em 2021 (Cariacica).

Riscos e impactos do negócio de forma mais acessível

O treinamento foi dividido em dois blocos: na primeira parte, direcionado para os gerentes, coordenadores e supervisores. Já no segundo momento, os gestores indicaram colaboradores de suas respectivas equipes para participar.  

A coordenadora do setor Jurídico, Marai Gonçalves, comandou a capacitação. Ela contou com o apoio de Julia Avelar, advogada do escritório Fialho Salles Advogados.

“É muito importante que este tipo de treinamento seja aplicado, porque são conhecimentos que permitem aos gestores ampliar a visibilidade de possíveis riscos e impactos no negócio. Com isso, eles conseguem tomar melhores decisões para os processos da empresa”, explica a coordenadora do Jurídico, Marai Gonçalves.

Pular para o conteúdo