Aegea capacita agentes de saúde em Rondônia, Mato Grosso e Pará

Matupá

Com o propósito de melhorar os indicadores da saúde pública dos municípios atendidos pela Aegea em Rondônia, Mato Grosso e Pará, agentes comunitários de saúde recebem capacitação técnica sobre doenças de veiculação hídricas e a importância de consumir água de qualidade.

Em Ariquemes (RO), 60 agentes foram capacitados. A professora e enfermeira, Sônia Carvalho, palestrou e mediou o encontro. O diretor-executivo da Águas de Ariquemes, que é mestre em Química, também conversou com os profissionais da saúde.

Ele explicou sobre as exigências da potabilidade da água que a concessionária entrega diariamente nas torneiras das famílias da cidade e falou ainda sobre as obras de saneamento e seus benefícios na promoção do desenvolvimento sustentável no município. 

Qualidade da água e imunidade

“Aprendi na capacitação que o pH da água, o nível de acidez, tem influência direta na imunidade. Se o pH do sangue está abaixo de 7, existe maior probabilidade de adquirirmos doenças. O recomendado é que o Ph esteja entre 7,5 a 9,0”, comenta Pierre Luiz Garcia, agente Comunitário de Saúde.

“Eu sofri na pele os danos da falta de saneamento. Estou finalizando um tratamento após uma infecção severa e, infelizmente, essa é a realidade de boa parte dos brasileiros que não tem acesso à água tratada”, afirma Sônia Carvalho.

Ela lembra que o SUS gasta aproximadamente R$ 1.397,95 por habitante por ano, porém temos um gasto próximo a R$ 100 milhões no atendimento de pacientes infectados com algum tipo de doenças de veiculação hídrica.

A capacitação foi possível por meio do Programa Nascentes, desenvolvido pela Águas de Ariquemes desde 2017, que retomou suas atividades agora, no período pós-pandemia. O objetivo é ampliar o conhecimento sobre água tratada e saneamento básico de uma forma geral.

Saúde Pública

Atualmente, 97% dos  moradores da cidade têm acesso à rede de água tratada. Uma pesquisa realizada em Rondônia em 2019 constatou que 93% dos poços de Ariquemes estão contaminados com coliformes totais e 63% com escherechia coli.

O levantamento foi feito pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsau), Agência Municipal de Regulação e Vigilância de Saúde do município, por meio da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e Agência de Vigilância de Saúde (Agevisa) de Rondônia.

Mais Nascentes

Criado pela Águas de Ariquemes, o Nascentes é feito por meio de um convênio com a Secretaria Municipal de Saúde. A parceria visa promover um encontro anual com os agentes comunitários de saúde do município. A ideia é valorizar o trabalho deste profissional por meio de capacitação e reconhecimento.

O Programa Nascentes deve ser ampliado ainda esse ano. “Nosso espaço social está aberto para a população. Temos outros encontros com os agentes comunitários de saúde previstos para 2022, além de vários programas voltados para a comunidade”, destaca Tânia Olinda, da área de Responsabilidade Social da Águas de Ariquemes.

Programa Afluentes viabiliza capacitação

As unidades da Aegea também atuam na comunidade por meio dos líderes comunitários no Programa Afluentes. Foi ele que viabilizou a capacitação dos agentes nos municípios de Guarantã do Norte, Matupá e Peixoto de Azevedo, entre outros.

A utilização correta da rede de esgoto e a importância do uso de água tratada para consumo humano foram temas abordados durante a capacitação para agentes de Saúde e Endemias.

“Essa capacitação vai me ajudar muito, ampliou o meu conhecimento. Vou repassar à população tudo o que aprendi aqui hoje e durante as visitas domiciliares”, salientou Silvia Alcimara, agente de Saúde e Endemias em Guarantã do Norte.

Além da capacitação, os participantes do encontro esclareceram dúvidas sobre tarifa de água e esgoto, informações sobre as obras, ações e melhorias que estão sendo realizadas nos municípios pelas concessionárias Águas de Guarantã, Águas de Matupá e Águas de Peixoto de Azevedo.

Ampliação do conhecimento e fortalecimento dos laços

A coordenadora de Responsabilidade Social das concessionárias da Aegea MT/PA, Helida Parente, pontua que é um trabalho bastante dinâmico e intenso, que sempre leva melhorias para os moradores, pois fortalece os laços entre a comunidade e a empresa.

“É possível ouvir as demandas e sanar as principais dúvidas dos moradores. O nosso compromisso, como prestadores de serviços públicos, está em buscar essa proximidade junto à comunidade para realizar sempre um bom atendimento. Beneficiamos nessa capacitação mais de 100 profissionais”, frisou o coordenador Regional da Aegea, Iury Kols.

Somando esforços

Para Adriana Pereira, responsável pela Vigilância Epidemiológica em Peixoto de Azevedo, a ação servirá de auxílio aos profissionais que recebem demandas e dúvidas da comunidade no dia a dia.

“Essa palestra realizada irá somar com o nosso trabalho, neste encontro foi possível sanar as dúvidas e questionamentos que chegam por meio da comunidade. Agora nas próximas visitas será possível levar as respostas que eles tanto procuram, será tudo esclarecido”, finalizou Emerson Rodrigues, agente Comunitário de Saúde em Matupá.

Pular para o conteúdo