Coletores de esgoto vão contribuir para proteção da Baía de Guanabara

Coletores de esgoto vão contribuir para proteção da Baía de Guanabara

Um importante passo foi dado para a execução de um dos maiores projetos ambientais do mundo: a recuperação da Baía de Guanabara. Em julho, a Águas do Rio recebeu em sua sede, na Praça Mauá, Zona Portuária carioca, as licenças ambientais concedidas pelo governo do estado, por meio do Inea (Instituto Estadual do Ambiente), para as obras de implantação do sistema Coleta em Tempo Seco na capital e em outros sete municípios.

A medida vai impactar positivamente a vida de cerca de 10 milhões de pessoas nas 17 cidades que compõem a bacia hidrográfica da Baía de Guanabara, com a melhora da qualidade da água a partir da coleta de mais de 400 milhões de litros de esgoto que deixarão de ser lançados diariamente nesse ecossistema. O equivalente a 200 piscinas olímpicas.

Serão investidos R$ 2,7 bilhões na construção de aproximadamente 47 quilômetros de grandes coletores, estações de bombeamento e outras estruturas, formando um cinturão de proteção da baía. A iniciativa prevê ainda a criação de mais de 120 pontos de captação em tempo seco nas seguintes cidades: Rio de Janeiro, São Gonçalo, Itaboraí, Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Belford Roxo, Nilópolis e Mesquita.

Pular para o conteúdo