Mobilização para antecipar obra do sistema de esgoto

Penha - SC
Texto: Luciana Zonta

No Brasil, somente 46% do esgoto gerado é tratado. Isso significa que o correspondente a 5.368 piscinas olímpicas de esgoto é despejado sem tratamento na natureza todos os dias.

Muitas cidades litorâneas vivem o drama de não terem rede de coleta e tratamento de esgoto. Praias paradisíacas como as de Santa Catarina enfrentam essa situação, sem os benefícios do tratamento de esgoto. 

Pedido de antecipação de metas

Para mudar isso, uma das mais antigas e importantes demandas ambientais de Penha, no litoral de Santa Catarina, pode ser atendida em breve: a implantação do sistema de tratamento de esgoto para a Praia de São Miguel.

É uma reivindicação antiga do Executivo Municipal, da Câmara Municipal de Vereadores de Penha e da Associação de Moradores do Bairro São Miguel. A proposta de antecipação foi apresentada pela concessionária da Aegea.

As metas para que o esgoto seja coletado e tratado estão previstas para acontecer no 13º ano de contrato. Mas na proposta apresentada, elas serão antecipadas para beneficiar toda a região.

“A obra atende ao anseio dos moradores e de toda a região, uma vez que estamos falando de uma região com alto índice de poluição, mas com enorme potencial turístico”, destacou Reginalva Mureb, diretora-presidente da Águas de Penha.

Para que as obras se concretizem é preciso que o contrato de concessão seja aditivado, alterando para a concessionária os itens que tratam sobre a obrigação de aquisição de áreas e da obtenção das licenças ambientais. 

Skip to content