O ciclo integral da água na visão de quem faz acontecer

O ciclo integral da água na visão de quem faz acontecer

Supervisores, encarregado das equipes de eletromecânica, operadores de ETE (estação de tratamento de esgoto), jornalista, agente de saneamento, colaboradores que ficam de olho nas telas de monitoramento para checar se tudo está fluindo bem, enfim, engenheiros da ordem de várias unidades da Aegea e em diversas funções nos contam como é seu trabalho.

O que os motiva e faz com que se movimentem para fazer girar um ciclo que é vital para a manutenção da vida na terra. Na Aegea, o ciclo integral da água é ampliado e, além da natureza, passa por uma complexa rede de serviços, conexões e processos. Unidos pelo propósito de movimentar vidas, nos levam pelo caminho da água desde que é captada até a devolução para a natureza.

Um ciclo humanizado que faz uma homenagem, neste Dia Mundial da Água, aos 18 mil colaboradores da Aegea que fazem a diferença em nossas vidas e na do planeta.

Cuidado com os mananciais

O ciclo de cuidados com a água começa com os mananciais, a fonte para o abastecimento. Com parcerias, a Águas Guariroba (MS) amplia o alcance de suas ações que protegem as nascentes. No plantio da foto, cerca de 500 mudas nativas do cerrado foram doadas pelo Viveiro de Mudas Isaac de Oliveira, que fica na ETE Los Angeles.

“Queremos entregar o que há de melhor para um bem maior”, diz Paulo Antunes Siqueira, diretor-presidente da MS Ambiental.

Controle de qualidade em todas as etapas do processo

Nas unidades da Aegea, a água passa por um rigoroso processo de qualidade desde que é captada até chegar na casa dos moradores. Quem acompanha de perto o processo na estação de tratamento de água (ETA) da Prolagos é o Marcio Viviani de Siqueira. “É uma satisfação saber que estou colaborando para a qualidade de vida das pessoas. É muito bom saber que faço parte desse processo”, diz.

Água: distribuindo saúde e dignidade por onde passa

Pelas telas do Centro de Controle Operacional, em Campo Grande (MS), ele acompanha desde a captação da água até o momento em que ela chega na casa das pessoas.

“Monitoramos os parâmetros de bombeamento, os níveis do reservatório, a pressão, ligamos e desligamos as bombas remotamente para atender a população da melhor forma, conforme o consumo de água. O maior encantamento é saber que ao fazer o meu trabalho direitinho, estou levando saúde e dignidade para os moradores da minha cidade”, diz Alex Halley Muniz da Silva, supervisor do CCO da Regional 1.

Atuação na comunidade

“Trabalho na comunidade da Mangueira, na zona norte do Rio, e o que me impulsiona é uma palavra que ouço todo dia: obrigada. Dizem: Kátia agora tenho água em casa, obrigada. Agora posso tomar banho e lavar minha roupa. Kátia agora não preciso carregar balde de água, muito obrigada. Principalmente ouvir das crianças: tia, um dia vou trabalhar nessa empresa.  Isso é gratificante”, afirma Kátia Regina Bruno Moreira, Vem com a Gente, da Águas do Rio.

Melhoria da qualidade da água do mar e retorno da biodiversidade

“Tenho um motivo especial para vir trabalhar todos os dias: ajudar a cuidar da ‘Princesinha do Mar’, como é mundialmente conhecida a  praia de Copacabana. Como moro nesse bairro, é gratificante acompanhar a melhora da qualidade da água do mar e o retorno da biodiversidade marinha. Amo e tenho absoluto respeito pela natureza. Saber que meu trabalho contribui para o legado ambiental que a Águas do Rio está construindo é o que me movimenta”, diz Rita Trancoso, que atua na área de esgotamento sanitário da zona sul do Rio, dentro do Centro de Operações Integradas.

Motivada em atender as pessoas de um jeito acolhedor 

Quem também se sente realizada pelo trabalho que desenvolve para a ‘Princesinha do Mar’ é Maria do Carmo, de 85 anos, que voltou a trabalhar quando a Águas do Rio abriu uma loja que é movimentada por colaboradores acima de 50 anos, em Copacabana. 

“Quando eu entrei e fui conhecendo a cultura da empresa me identifiquei com um jeito de ser que tem muito a ver comigo: motivado pelo que faz. Eu sempre fui ativa, independente, e tenho muito ainda para contribuir com meu estilo acolhedor de atender as pessoas. E vejo que esse comportamento é valorizado na Águas do Rio”.

Ampliação das redes de coleta e tratamento de esgoto

“Me chamo Gabriele Porto e atuo no setor de Engenharia. Por meio do meu trabalho, implantamos muito mais que apenas um sistema de esgotamento sanitário nos bairros. Ao implantar e executar o serviço, garantimos qualidade de vida para a população que recebe esta melhoria e contribuímos para a destinação correta do efluente que, sem o nosso trabalho, iria para o meio ambiente”, afirma a colaboradora de uma das PPPs da Aegea no Espírito Santo.

Engenheiros da ordem

“Atuo como supervisora de Programação e com o meu trabalho, lidero o time que recebe todas as solicitações de manutenção da companhia aqui no Espírito Santo. De forma estratégica, conseguimos analisar e corrigir os impactos nos locais, garantindo a normalização do sistema o quanto antes possível e fazendo com que o efluente chegue no seu destino correto para ser tratado e devolvido ao meio ambiente, com segurança”, conta Juliana de Castro.

Manutenção da ordem no trajeto da casa à estação de tratamento

“Sou o Ronaldo e atuo como encarregado das equipes operacionais de Eletromecânica. Com o meu trabalho, promovo manutenções preventivas e corretivas nas estações elevatórias que bombeiam o esgoto da parte mais baixa para a mais alta. Assim, com o bombeamento, o esgoto coletado chega à ETE para ser tratado e, depois, devolvido à natureza. É gratificante saber que contribuo para o transporte e a chegada segura do efluente até o seu destino correto”, conta Ronaldo Caja.

Liderando os times

“Meu nome é Leomar, atuo como supervisor da Ambiental Cariacica, tenho a função de liderar um time que executa manutenções nas redes coletoras, bem como nas redes de recalque. Contribuo para que o esgoto ‘bruto’, sem tratar, chegue às estações de tratamento da maneira correta e segura, para serem tratados e logo após devolvidos ao meio ambiente”, explica Leomar Moraes.

Tratar o esgoto é cuidar da água

“É uma grande satisfação fazer parte da Aegea, que é focada e referência em distribuição de água,  que é um bem tão precioso hoje em dia. Sou operador de ETE  e tenho muito orgulho de contribuir para o meio ambiente com o meu trabalho”, afirma Luiz Afonso Hammerschmid, operador de ETE da Ambiental Paraná, que trabalha em Contenda.

Cuidando da saúde das pessoas e dos corpos hídricos

“Me chamo Carlito, sou operador da ETE Manguinhos, na Serra, no Espírito Santo, e tenho muito orgulho do que faço, acredito que é como uma missão. Trabalho no tratamento do esgoto e tenho a certeza que o efluente é devolvido ao meio ambiente com qualidade e transparência, cuidando da saúde humana e dos corpos hídricos”, afirma o operador.

Preservando os recursos para as próximas gerações

“Analiso e monitoro os processos de tratamento, acompanhando cada um dos parâmetros de qualidade que a empresa segue. Assim, com o meu trabalho, contribuo para garantir que os efluentes sejam tratados de forma eficiente e segura, antes de serem devolvidos ao meio ambiente, ajudando a preservar a natureza para a nossa geração e as futuras”, afirma Nattália, supervisora do Laboratório de Controle de Qualidade.

Processo sustentável 

“Lidar com saneamento é um desafio diário, porque envolve o serviço básico para todas as pessoas e comunidades. Então, acompanhar os parâmetros da água, analisando diariamente, para devolvê-la para a natureza é algo que me move. É um trabalho muito valioso, pensando em meio ambiente, saúde e sustentabilidade”, afirma Anna Carolina Kida Perez, da Ambiental Paraná.

Área Comercial: eficiência na gestão da água

“Atuo no setor Comercial como supervisora e quero destacar a importância do trabalho que realizamos aqui. Nossas equipes desempenham um papel crucial na gestão da água, por meio das manutenções preventivas e corretivas dos medidores. Essas ações são essenciais para garantir a preservação desse recurso vital. Nosso compromisso é claro: estamos empenhados em evitar o desperdício da água, o bem mais valioso do nosso planeta”, afirma Jaqueline Almeida, da Aegea no Espírito Santo.

Motivação que vem do aprendizado contínuo 

“Na Águas do Rio eu consegui o meu primeiro emprego com carteira assinada. Tenho 25 anos e com essa oportunidade, outros caminhos se abriram. Sou um cara muito curioso, gosto de saber como as coisas funcionam, fazer acontecer, e aqui há uma troca intensa de conhecimento e experiências. É esse aprendizado contínuo que me motiva”, conta Flávio Farias, analista de Facilites da Águas do Rio.

Paixão que movimenta vidas e constrói legados

“Sou apaixonada pelo meu trabalho porque, além de impactar positivamente no meio ambiente, muda a vida das pessoas para muito melhor, pois melhora a qualidade de vida. Levar dignidade às pessoas é deixar, também, um legado para as próximas gerações. Isso não tem preço!”, afirma Maria de Lourdes Valentini, da Comunicação das unidades da Aegea no interior de São Paulo.

Pular para o conteúdo