Pais têm mais tempo para ficar com seus filhos com licenças ampliadas

Pais têm mais tempo para ficar com seus filhos com licenças ampliadas
Texto: Luana Ribeiro e Rosiney Bigattão

A chegada de um filho é sempre motivo de muita comemoração, afinal, é resultado de meses de espera, planejamento e preparativos de toda ordem. Para muitos casais, é a concretização do sonho de uma vida inteira. Por tudo isso, cada minuto a mais ao lado do bebê é como um presente.  

“Se não fosse a extensão da licença paternidade, eu já teria voltado ao trabalho e, quem sabe, nem passaria o Dia dos Pais com a Beatriz. Não quero pensar como seria, pois está sendo muito bom”, conta Reinaldo Pereira de Souza Oliveira.

Aos 44 anos, o líder do setor de Esgoto da Águas Guariroba (MS) é pai pela primeira vez. Beatriz nasceu saudável, trazendo muitas alegrias aos pais, no dia 4 de agosto. O casal não tem uma rede de apoio e ele ter o direito de ficar mais tempo em casa está fazendo toda a diferença.

Importância de criar vínculos afetivos

“Sei da importância de criar vínculos afetivos logo que o bebê nasce, além de toda a ajuda nos cuidados, que é essencial. O maior ganho é ter esse tempo a mais, para contemplar, para cuidar, para ser pai em tudo o que isso significa. Estamos bem felizes com esse benefício”, diz Reinaldo.

“Foram três dias só na maternidade, imagine se fossem só os cinco dias de licença paternidade, como era antes?”, questiona ele. A esposa Daniele é gerente de loja e também comemora o tempo extra que o marido vai ficar em casa, ao lado delas. 

Um ciclo completo de cuidados ao lado do filho 

Quem também celebra o tempo maior ao lado do filho é Magda Luanne Ribeiros Rios Sá. O filho Gael fez quatro meses e têm agora 60 dias a mais bem pertinho da mãe, que é analista de Projetos Sociais da Águas de Timon (MA). “Os primeiros meses foram bem puxados”, diz ela.

“Foi um presente para nós dois, eu estava aflita que teria que voltar antes dos seis meses de amamentação. Agora, vou ficar ao lado dele, amamentar, fechar o ciclo completo. É mais qualidade de vida para toda a família”, afirma Magda. “Fora toda a alegria em passar mais tempo juntos”, conta.

A prorrogação da licença maternidade de 120 para 180 dias e da licença paternidade de 5 para 20 dias é válida a partir de agosto. As mães que saíram em maio, por exemplo, e teriam que voltar em agosto, também foram beneficiadas com a ampliação do prazo.

Benefícios para colaboradores e empresa 

São muitos os benefícios, tanto para a empresa quanto para os papais e mamães, segundo Henrique Fonseca de Brito, especialista em Relações Trabalhistas da Aegea. 

“Entre os benefícios estão a proteção da qualidade física e saúde mental dos colaboradores; o aumento da produtividade e desempenho; atração e retenção de talentos, reduzindo a rotatividade, e a melhora no clima organizacional”, diz ele.

Priscilla Garutti, coordenadora de Relações Trabalhistas e Sindicais da Aegea, explica que a ampliação das licenças maternidade e paternidade está prevista no  Programa Empresa Cidadã. “O objetivo é incentivar ações que promovam a conciliação entre a vida pessoal e profissional dos colaboradores”, afirma.

Para a coordenadora, o mais importante é que estimula ações que beneficiam o desenvolvimento dos bebês, fortalecendo os vínculos afetivos e familiares. “Estamos falando em qualidade de vida, é um  momento tão especial na vida da família, poder ficar mais tempo com os filhos faz muitadiferença”, diz.

Mais segurança psicológica 

“É garantir segurança psicológica para os filhos e para os pais. Estamos contribuindo para uma população saudável no futuro, pois o nosso negócio é de longo prazo, então estamos cuidando dos cidadãos desde o nascimento deles”, afirma Carolina Pardo, gerente de RH da Aegea. 

“O ideal é que, quando a criança está com quatro meses de idade, ainda esteja 100% no leite materno, por isso voltar depois que ela tiver seis meses, com a ampliação da licença maternidade, será muito benéfico para a saúde do bebê e segurança psicológica da mãe, que vai se preparar melhor para voltar ao trabalho”, diz Priscilla Garutti. 

Entendendo melhor a rotina familiar 

“Tem também as vantagens para o pai que, com 20 dias de licença, vai conseguir organizar melhor a nova rotina da família com a chegada do bebê”, diz a coordenadora. “Quem não tem rede de apoio vai sentir ainda mais os benefícios da ampliação da licença, pois os três primeiros dias são praticamente na maternidade”, complementa. 

“Ficando mais tempo em casa, o pai acaba entendendo melhor a rotina com o bebê, as necessidades e passa a participar mais”, afirma Carolina Pardo. Quem sabe bem a importância desse tempo a mais é o leiturista Denis Alexandre Fernandes Lima, de 26 anos. Colaborador da Águas Guariroba (MS), aguarda a chegada da segunda filha, Mayla Manuella, prevista para o fim de agosto. 

Desta vez, ele poderá acompanhar os primeiros dias de vida da filha de perto. “Quando meu primeiro filho nasceu, ficou 18 dias internado e não pude ficar perto, como gostaria. Agora, estou na empresa há pouco mais de um mês e recebo essa notícia. Fiquei muito feliz, pois poderei estar perto da minha filha e dar um conforto, ajudar minha esposa no que for preciso”, disse.

Coração mais tranquilo  

Já a assistente de recursos humanos, Nayara Oliveira, que está grávida de 7 meses da segunda filha, Lívia, considera a ampliação da licença uma conquista. “Eu achei maravilhoso. Poder acompanhar minha filha por um tempo maior faz toda a diferença. E retornar com ela já iniciando a introdução alimentar, tem toda diferença, o coração fica mais tranquilo”, ressalta.

Ambas as extensões de licença também se aplicam a casos de adoção e guarda judicial, sendo 180 dias para crianças menores de 1 ano, 90 dias para filhos de 1 a 4 anos e 45 dias para crianças de 4 a 8 anos.

“Nosso propósito é proporcionar ao colaborador a tranquilidade que esse momento exige. Por isso, quando a Aegea aderiu ao Programa Empresa Cidadã, se pautou no respeito, empatia, cuidado e qualidade de vida dos nossos colaboradores”, explica a coordenadora de Gestão de Pessoas da Águas Guariroba (MS), Eleine da Rocha Barbosa.

Pular para o conteúdo