Sede da Águas do Rio entra no Passaporte Cultural com imersão no mar

Sede da Águas do Rio entra no Passaporte Cultural com imersão no mar

Localizada no histórico Armazém 2, na Zona Portuária carioca, a sede da Águas do Rio se tornou um dos destinos do programa Passaporte Cultural, da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa. 

A concessionária assinou, em julho, termo de parceria com o governo estadual e passará a receber estudantes de escolas e universidades públicas, organizações culturais comunitárias, entre outros grupos beneficiados pelo projeto. 

Com o compromisso firmado, a empresa se une a locais com o Museu do Amanhã, AquaRio, Maracanã, Planetário e Theatro Municipal.

Sala Baía de Guanabara: importância do saneamento

Criado em 2021, o programa amplia o acesso de pessoas de baixa renda a espaços culturais com ingresso gratuito a museus, casas de espetáculos, cinemas e exposições. Mais de 80 mil pessoas já tiveram acesso a esses locais, muitas vezes inacessíveis por falta de incentivo. 

Agora no circuito educacional e cultural, a sede da Águas do Rio conta com a sala Baía de Guanabara, espaço de imersão que, por meio de imagens da vida marinha desse ecossistema, explica a importância do  saneamento básico para o futuro do planeta. Grupos de crianças também poderão participar de uma série de brincadeiras com a temática da água.

Visita de professores de escolas públicas

Mais de 60 professores de escolas públicas da Baixada Fluminense marcaram a entrada da Águas do Rio no Passaporte Cultural e visitaram a concessionária. Na palestra de boas-vindas, o diretor-presidente da empresa, Alexandre Bianchini, chamou os educadores para serem multiplicadores da transformação.

“Saneamento, saúde e educação formam a tríplice que faz um país ser ou não desenvolvido. E, no Brasil, muito pouco se fala sobre saneamento, talvez por isso temos hoje 35 milhões de pessoas sem acesso à água tratada e 100 milhões sem coleta de esgoto”, disse Bianchini.

A secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa, Danielle Barros, destacou o papel crucial da educação na cultura. De acordo com ela, as visitas a espaços culturais, especialmente das crianças, devem ser mais do que apenas passeios.

“A ideia é que a gente tenha a capacidade de usar todo o conteúdo que aprendemos aqui, como saneamento e sustentabilidade, para trabalhar dentro e fora da sala de aula”, falou.

Pular para o conteúdo