Tratamento de qualidade para indígenas em Campo Grande e Manaus

Kamila e Ivone

Considerada a primeira aldeia urbana do Brasil, a Marçal de Souza, em Campo Grande (MS), recebe água de qualidade da Águas Guariroba. A empresa atua no local com a Tarifa Social, que oferece 50% de desconto na fatura e amplia o acesso das famílias que atendem aos requisitos.

A concessionária também expandiu a rede de abastecimento para a Aldeia Água Bonita, na zona Norte de Campo Grande (MS). Na obra, foi feita uma extensão de 2.000 metros de rede de água, beneficiando cerca de 200 famílias.

Com a implantação da rede de fornecimento de água, serão atendidos a Aldeia Água Bonita e o Assentamento Água Bonita II. A rede de água na aldeia era um pedido antigo da comunidade, que passou a contar com um fornecimento de água tratada e melhor qualidade em saúde.

As equipes da Águas Guariroba também atuam nas duas aldeias por meio do Programa Voluntariado e de Responsabilidade Social da concessionária. São ações que vão além dos serviços básicos de saneamento. Levam apoio, solidariedade e esperança para os moradores. 

Ampliação da rede água e as mudanças em Manaus

Em Manaus (AM), o serviço de água foi ampliado para atender, depois de 20 anos de espera, aos tupinambás, que vivem na zona leste da cidade. A Águas de Manaus também ampliou os serviços para atender aos moradores da Aldeia Uka Anamã. A cada nova ligação, grandes mudanças para a vida das comunidades.

“Não preciso mais acordar de madrugada ou passar grande parte do meu dia carregando baldes e garrafas. Posso dormir tranquila, pois sei que terei água em casa na hora que eu abrir a torneira. Isso é uma grande vitória”. A fala da dona de casa Ivete Mura, 55, simboliza o sentimento dos moradores da comunidade Coliseu, na zona leste de Manaus. 

Dona Ivete reside na região desde que a área começou a ser ocupada, há oito anos. Conseguir água sempre foi um problema para quem mora no Coliseu. A antiga ocupação tem infraestrutura improvisada e os moradores recorriam a fontes irregulares como cacimbas, igarapés e poços artesianos sem padronização para ter o mínimo de água para o consumo.

Sistema de abastecimento regular

Desde o início do ano, parte da comunidade Coliseu passou a receber água tratada em casa, 24 horas por dia, com o novo sistema de abastecimento regular que está sendo implantado pela Águas de Manaus na região. No total, a estrutura conta com 12 quilômetros de redes interligadas ao sistema hidráulico do Jorge Teixeira e aproximadamente 1.200 ligações individuais. 

A terceira etapa do Coliseu, onde dona Ivete reside, já está com as obras concluídas. Somente nesta área da comunidade, foram implantados 5.000 metros de novas redes de abastecimento.  As redes implantadas pela Águas de Manaus seguem todos os padrões para que a água possa chegar com qualidade potável até os moradores.

Mudança profunda na comunidade

Kamila e Ivone
Tratamento de qualidade para indígenas em Campo Grande e Manaus

Moradora da Aldeia Uka Anamã, que abriga 37 famílias indígenas e fica no assentamento Betel, no Coliseu III, a tuxaua Kamila Mura, 33, disse que a chegada da água tratada representa uma mudança profunda no dia a dia da comunidade.

“Nós já estávamos condicionados a dedicar parte do dia atrás de água para nossas atividades, lavar louças e tomar banho de balde. Isso finalmente está mudando para todos. Eu já consigo e adoro tomar um bom banho de chuveiro no fim do dia (risos).  Sem água não somos nada. Ela é fundamental para nossa vida”, disse Kamila.

Todos os moradores das comunidades Coliseu I, II e III estão sendo cadastrados na Tarifa Manauara, benefício que concede 50% de desconto no valor das faturas. A empresa também está realizando ações para orientar o consumo consciente na comunidade, incentivando o uso correto da água nas atividades diárias.

Pular para o conteúdo