A Década do Oceano

A Década do Oceano

Os oceanos compõem o principal ecossistema da Terra: ocupam 70% do território e são inestimáveis para o equilíbrio ambiental do planeta. Além disso, distribuem temperaturas ao redor do globo terrestre e produzem mais de 50% do oxigênio que respiramos.

Por meio da pesca, os oceanos garantem a proteína para alimentar ao menos um bilhão de pessoas no mundo. São a grande via de comércio marítimo e uma fonte primordial de riquezas minerais, como o petróleo. A biodiversidade deles é fonte de princípios ativos para fármacos.   

Ligação dos seres humanos com o mar

“Além disso, o oceano é parte essencial do que nos fez humanos. Temos uma ligação atávica com o mar, que é também uma potente fonte de lazer e de espiritualidade. O mar permeia toda a história da humanidade. Sem ele, não seríamos o que somos”, defende Alfredo Nastari, diretor-executivo da SP Ocean Week.

A despeito dessa importância vital, a humanidade ainda acredita que o oceano é uma fonte de recursos renováveis. Algo evidente em estudos que comprovam o quanto o mar está sujo, cansado, cada vez mais quente e poluído, com suas riquezas continuamente sendo destruídas. 

Década da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável

Para reverter esse cenário de iminente colapso, a Assembleia Geral da ONU nomeou a década de 2021-2030 como a Década das Nações Unidas da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável. 

“O braço para se executar a Década do Oceano é a Unesco. No bojo dessas questões colocou-se também como objetivo a difusão da cultura oceânica, chamada de ‘ocean literacy’, letramento oceânico, e a criação de uma ‘geração azul’. Tudo o que fazemos, direta e indiretamente, acaba no mar e ele devolve isso de forma malcriada, com eventos extremos”, adverte Nastari.

Integração entre pessoas e o oceano

Nesse sentido, o principal objetivo da Cátedra Unesco para a Sustentabilidade do Oceano é promover a integração do oceano com a sociedade, como explica Alexander Turra, um dos idealizadores da SP Ocean Week

“Temos buscado uma tríade que é a tradução do movimento que a gente pretende estimular no país e fora dele: entenda, conecte-se e transforme. Nesse contexto, temos uma iniciativa bem específica que é a Aliança Para o Futuro do Oceano. Diversas instituições ligadas a essa temática e que assinaram o Compromisso Para o Futuro do Oceano, atualizaram suas atividades e propostas para o futuro, para que a gente consiga ter uma visão clara dos avanços que estão sendo buscados em relação ao oceano”, conclui.

Pular para o conteúdo