Ambiental Ceará intensifica ações preventivas na rede de esgoto para períodos de chuvas

Ambiental Ceará intensifica ações preventivas na rede de esgoto para períodos de chuvas
Texto: Jéssica Colaço e Natália Coutinho

O início da quadra chuvosa no estado está relacionado a uma série de medidas preventivas e ações especiais, no sistema de esgotamento sanitário, para evitar a sobrecarga da rede de coleta nesse período. O objetivo também é garantir mais segurança e eficiência operacional do sistema.

Responsável pela operação do esgoto em 24 cidades cearenses, incluindo Fortaleza, a Ambiental Ceará está realizando desde serviços preventivos de limpeza e desobstrução de redes a melhorias estruturais em estações de tratamento e elevatórias de esgoto.

Ações para evitar extravasamento e telemetria

Em Fortaleza, as equipes realizaram limpeza e desobstrução de rede do Polo Turístico e Gastronômico da Varjota, um reduto do que há de melhor na culinária da cidade. Estão executando também uma força-tarefa com o mesmo tipo de serviço em diversas áreas da cidade.

Nos municípios da Região Metropolitana do Cariri atendidos pela empresa, foram mapeados 64 pontos críticos, com histórico de extravasamento, para monitoramento ainda mais dedicado neste período. 

Visando garantir agilidade nos reparos, estão previstas instalações de painéis de telemetria, que permitem monitorar as ETEs (estações de tratamento de esgoto) e as EEEs (estações elevatórias de esgoto) em diversas localidades. Além disso, novos painéis de automação serão implantados em outras cinco estações.

Acompanhamento remoto

Além dessas melhorias, a Ambiental Ceará faz o monitoramento em tempo real, 24h por dia, de toda a operação de esgotamento sanitário e de mais 400 equipamentos, a partir dos Centros de Operação Integrada (COI), instalados em Fortaleza, Maracanaú e Juazeiro do Norte.

As unidades de controle realizam, também, o acompanhamento de poços de visita (PVs), popularmente conhecidos como tampas de esgoto, por meio de sensores de volume. Quando a capacidade está acima do limite, o sistema emite um alerta e as equipes entram em ação, evitando extravasamentos.

Evitando o acúmulo da água da chuva nas ruas

Mais de 1.500 PVs foram nivelados e alinhados ao pavimento de avenidas e ruas de grande fluxo, nas cidades atendidas pela empresa. A medida proporciona mais segurança no trânsito, evitando o acúmulo de lâminas d’água em áreas de desnível que acabam causando acidentes; e permite o isolamento da rede subterrânea de esgoto, reduzindo a absorção de água da chuva. 

“Um aspecto importante, que queremos chamar a atenção, é que, em muitos casos, o sistema de esgotamento sanitário fica sobrecarregado porque recebe, de forma irregular, a água que deveria ir para a rede de drenagem. Então, reforçamos com a população para que verifiquem as conexões dos imóveis, destinando esgoto e água de chuva para as tubulações adequadas”, destaca o diretor de Operações da Ambiental Ceará, Fernando Lima. 

Diferenças entre as redes de drenagem e esgoto

A rede de esgotamento sanitário coleta o esgoto dos imóveis e o direciona para as estações de tratamento, onde será devidamente tratado antes de retornar ao meio ambiente. Já a rede de drenagem de água pluvial recebe a água proveniente das chuvas e direciona para rios, lagos e mares, evitando alagamentos nas cidades.

De acordo com Fernando, além do despejo da drenagem, o descarte incorreto de lixo na rede de esgoto é um dos principais causadores de obstruções e outros problemas no sistema. Os itens mais comuns de serem encontrados nas tubulações são fraldas descartáveis, sacolas, preservativos e óleo de cozinha.

Pular para o conteúdo