Campo Grande é a 2ª capital com melhor saneamento do Brasil

Campo Grande é a 2ª capital com melhor saneamento do Brasil
Texto: Luana Ribeiro e Jefferson Gonçalves

O Ranking do Saneamento 2024 do Instituto Trata Brasil foi divulgado no dia 20 de março e traz a capital de Mato Grosso do Sul na 2ª posição entre as capitais com melhores índices de saneamento do país.

Campo Grande fica atrás apenas de São Paulo. Já no ranking dos 20 melhores municípios no saneamento, a capital Morena, como a cidade é conhecida, subiu nove posições, saindo da 26ª para a 17ª colocação.

Água boa na torneira todo dia

O que o ranking mostra os moradores já conhecem bem. Praticamente a cidade toda é abastecida com água tratada: índice de 99,98% no início de 2024. Antes da água chegar às torneiras, passa por um rigoroso controle de qualidade.

São 20 profissionais e equipamentos de última geração envolvidos em todo o processo. No Laboratório de Monitoramento de Qualidade da Águas Guariroba, são cerca de 1.600 análises por dia, que resultam em mais de 580 mil por ano.

Maior produção de água e menos perdas

Outro indicador importante trazido pelo relatório é o índice de perdas de água na distribuição entre as capitais, em que somente Goiânia (GO) e Campo Grande (MS) apresentaram índices menores que 25%, sendo 19,80% o índice da capital de MS.

No ano passado, mesmo com o serviço de abastecimento universalizado, houve investimentos na infraestrutura para garantir ainda mais eficiência na produção e fornecimento de água para a população.

Como resultado dessas ações, a concessionária registrou no mês de novembro de 2023 o índice de 311 milhões de litros de água captados, número recorde em 23 anos de operação.

Entre as 27 capitais brasileiras no ranking, somente nove possuem ao menos 99% de abastecimento total de água. O atendimento da Águas Guariroba chega a comunidades indígenas e antigas áreas de ocupação, como a Homex, com 1.500 famílias.

Virada de chave na vida dos moradores

Moradora há cinco anos na região, Karina da Silva Teixeira, fala sobre morar em um local com saneamento.

“Ter água em casa era algo muito difícil nos primeiros anos, dependíamos de um acesso irregular e dividido com outros moradores, não era seguro. Além disso, tínhamos que deixar o balde em uma mangueira e depois carregar a água até em casa”, recorda Karina.

“Hoje estamos mais tranquilos, é uma virada de chave não só para mim como para todos os moradores que há muito tempo esperavam por água em casa” destaca a moradora.

Também moradora na comunidade, Andrea Florentino de Oliveira, destaca a qualidade em saúde com a chegada da rede de água na comunidade Homex. “Eu não tinha segurança quando bebia água, ainda mais por ser uma paciente cardíaca, de estar sempre de olho na minha saúde. Eu via a situação de outros moradores que buscavam água de pontos distantes, às vezes de poços e tinham que até ferver a água para beber, fora os casos de doenças. Após esses anos, ter água em casa significa tranquilidade, é ter qualidade de vida e principalmente saúde, não só para mim, mas para toda a comunidade”, explica, aliviada, Andrea.

Avanços no esgotamento sanitário

Houve um avanço também no que diz respeito à cobertura dos serviços de esgoto em Campo Grande. Foram implantados mais 230 quilômetros de redes e a cobertura da coleta e tratamento de esgoto está em 90%.

Para a concessionária, os resultados do Ranking do Saneamento 2024  são fruto da experiência em saneamento, gestão participativa, eficiência operacional e compromisso com a sustentabilidade.

Leia mais no site da Águas Guariroba.

Pular para o conteúdo