Esperança dá o tom ao evento de premiação de jovens Pioneiros

Esperança dá o tom ao evento de premiação de jovens Pioneiros
Texto: Rosiney Bigattão

O sentimento de esperança marcou a entrega da certificação da premiação do Pioneiros, em 20 de março, em São Paulo. Realizado em 14 unidades da Aegea, o projeto mobilizou 1.562 jovens de escolas públicas e premiou as três melhores ideias que já estão gerando impactos positivos por meio do saneamento nas comunidades onde os estudantes vivem.

“Quando nos mudamos do interior para a capital, fomos vender milho verde para sobreviver. Um dia, um senhor chegou na nossa barraquinha e ofereceu uma vaga na escola do bairro para minha filha. Hoje, ela está aqui sendo premiada pelo projeto que fez para a comunidade e agora eu tenho certeza que ela vai conseguir cursar a tão sonhada faculdade. É um prêmio para nós também, que acreditamos no potencial dos nossos filhos”, disse, Andreia Maria dos Santos, mãe da Andressa, uma das jovens premiadas no Pioneiros.

Apoio para superar as dificuldades e realizar sonhos

“Nós, que estamos em situação mais vulnerável, aprendemos que as dificuldades andam lado a lado dos nossos sonhos. Mas quando somos acolhidos e recebemos apoio, conseguimos vencer”, disse Andressa, também muito emocionada. A estudante participou do projeto pela Águas de Teresina (PI). Foram muitas as lágrimas durante todo o evento, a maioria pela alegria de estar ali, abraçando uma oportunidade que já mudou a vida deles, de suas famílias e até mesmo da comunidade envolvida, pois os jovens levam para elas a referência de que é possível mudar.

A vontade de querer o melhor para a comunidade onde vivem

“Vindo de onde eu vim, de uma periferia, de uma comunidade, estar aqui hoje é uma vitória – o menino virou rei! E vou mais longe, pois eu levo do projeto essa vontade de não parar de inovar, de estudar, de querer sempre o melhor, não só para a gente, mas para o mundo”, afirmou Henry de Freitas, de Cabo Frio (RJ).

“Olhamos para o local onde moramos e percebemos que é uma área com baixa taxa de natalidade e alta de analfabetismo, um povo sem saneamento, e pensamos que saneamento é para todos, saneamento é vida, e não podíamos deixar de olhar para isso”, contou.

Desenvolveram então, durante o Pioneiros na Prolagos, ao lado de Matheus Souza Costa, um projeto de fossa séptica feita com bananeira para uma comunidade de povos originários, o Quilombo das Caveiras.

Bolsas de estudo para a faculdade e legado para toda a região

“O grande legado para as unidades que participam são os jovens, pois quando incentivamos o aprendizado deles, nosso objetivo é que seja um marco em suas vidas. Daqui a um tempo, um desses estudantes pode ocupar o meu lugar na direção da empresa, por exemplo, e trabalhamos para que eles tenham um desenvolvimento para a vida toda”, afirmou o diretor-presidente da Prolagos, Pedro Freitas.

Os vencedores do Pioneiros na Prolagos ganham também bolsas de estudo para cursar a faculdade.

“Esse ano os Pioneiros vieram para emocionar a gente. Saber que podemos mostrar aos jovens a capacidade que eles têm, que eles podem cursar uma faculdade, sonhar em ser um engenheiro, um médico, isso é transformador para nós também, envolvidos com o projeto”, conta Fernanda dos Santos Martins, analista de Responsabilidade Social da Aegea.

Jornada de transformação

“A cada ano fica mais claro que a jornada não termina com o evento de premiação, ele é apenas uma etapa de uma longa trajetória de mudanças a partir dessa potência que os jovens têm de serem protagonistas. É um projeto multiáreas, tem o envolvimento de toda a empresa, a dedicação de cada tutor que se envolve de forma voluntária, os pais que incentivam seus filhos e inclusive vêm acompanhar a premiação, as comunidades que se engajam, então é todo um ciclo gerado a partir do saneamento”, diz Lisandre de Assis Dauber, coordenadora de Responsabilidade Social.

“O Pioneiros reforça o conceito da Aegea de ir além dos contratos, trazendo esperança para os jovens e para os mais vulneráveis. Quando vemos essa alegria entre os estudantes, todo esse talento despertando depois de passarem quatro meses em uma imersão dentro das unidades, é muito gratificante. Quantos outros talentos não estão escondidos nessas comunidades que podem ser desabrochados em projetos como esse? É uma sementinha para a vida, é muito transformador para a vida deles”, disse Édison Carlos, presidente do Instituto Aegea. 

A imersão no saneamento

No desenvolvimento dos projetos, os pioneiros contam com um apoio fundamental: os tutores, que são colaboradores voluntários. “Desde que chegam às unidades, acompanhamos os estudantes nesse processo de aprendizagem. Mostramos o passo a passo dos serviços prestados, desde a captação, tratamento e distribuição de água, até a coleta e tratamento de esgoto, indo além, com os programas sociais e de inclusão. É uma imersão no dia a dia da operação”, diz Lucas Marques, tutor da Águas de Timon.

“Me sinto premiado aqui, entre eles, e também desafiado a continuar a me transformando. O Pioneiros faz com que coloquemos em prática a empatia e a comunicação assertiva, comportamentos que fazem parte da nossa mandala”, afirma. Para o tutor da Águas de Teresina, Felipe da Silva Araújo, é um projeto com mais aprendizado do que ensinamentos. “Sou da área administrativa e agora sei muito mais sobre a operação do que no início do Pioneiros”, conta.

Mais sobre o Projeto Pioneiros

A 5ª edição do Projeto Pioneiros recebeu 1562 inscrições de estudantes de escolas públicas, distribuídos nas 14 unidades participantes da Aegea. Destes, 376 foram selecionados para uma imersão no universo do saneamento, feita com o foco de capacitar os estudantes da Rede Pública de Ensino para o mercado de trabalho.

Chegaram ao final da capacitação 221 jovens, que desenvolveram 110 projetos para melhorar as condições de vida das comunidades onde vivem por meio do saneamento. Do total, foram premiados os três melhores projetos desenvolvidos na Águas de Teresina (PI), Águas de Timon (MA) e Prolagos (RJ).

Entre tutores e apresentadores, foram 342 colaboradores envolvidos e 15 jovens foram contratados pelas concessionárias. As inscrições para participar da próxima edição já estão abertas em algumas unidades da Aegea.

Os premiados

Saneacampo

Jovens autores: Matheus de Abreu Viana Souza Costa e Henry de Freitas

Unidade onde foi desenvolvido: Prolagos (RJ).

Implementação de um sistema de saneamento básico sustentável e acessível para comunidades rurais, focado na introdução da fossa séptica de bananeira como solução eficaz para o tratamento de esgoto.

Renascendo com a Águas

Jovens autores: Wenner Batista Silva e Andressa Maria dos Santos Sousa

Unidade onde foi desenvolvido: Águas de Teresina (PI).

Reutilizar a água para resfriamento de casas, lavagem de pisos, regar plantas ornamentais, descargas de vasos sanitários, entre outras aplicações, visando reduzir o consumo de energia elétrica e mitigar o impacto ambiental.

Barreira Ecológica Sustentável

Jovem autor: Igor Emanoel Aragão Soares

Unidade onde foi desenvolvido: Águas de Timon (MA). Visa a utilização de materiais recicláveis para retenção de toneladas de lixo, impedindo seu avanço para outras regiões e beneficiando a vida dos animais e pessoas que ali vivem.

Pular para o conteúdo