Estratégias para saneamento avançar incluem emissão de papéis

Estratégias para saneamento avançar incluem emissão de papéis

A Aegea, por meio da concessionária Águas do Rio, deu mais um passo importante para transformar o saneamento do Rio de Janeiro. A empresa realizou a maior oferta de debêntures de infraestrutura já concluída no país.

Vale lembrar que debêntures são títulos de crédito (de renda fixa) emitidos por empresas e negociados no mercado de capitais. Funcionam como uma captação de recursos para realizar operações ou investimentos.

O valor total foi de R$ 5,54 bilhões em duas séries, a primeira com prazo de vencimento de 10 anos e 6 meses, e a segunda com prazo de vencimento de 18 anos e 6 meses. 

A procura pelos papéis superou R$ 9,6 bilhões, valor 1,7 vezes superior à oferta, sendo que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) subscreveu R$ 1,9 bilhão das debêntures emitidas.

Emissão com selo azul e sustentável

Em conjunto com outras fontes de financiamento de longo prazo e com os aportes dos acionistas, essa oferta de debêntures assegura os mais de R$ 24 bilhões em investimentos a serem realizados ao longo dos 35 anos pela Águas do Rio.

Em uma estrutura de Project Finance inédita no setor de saneamento, os recursos obtidos por meio da emissão,  se complementam ao financiamento de longo prazo firmado com o BNDES em dezembro de 2022, no montante de até R$ 19,3 bilhões.

Além disso, a emissão, que contou com selo azul e sustentável, se soma às linhas de financiamentos de longo prazo já contratadas com o Banco Interamericano de Desenvolvimento, Proparco e Saneamento para Todos, totalizando R$ 25,5 bilhões. 

Maior ciclo de investimentos em saneamento 

“A forte demanda pelo papel reforça a confiança do mercado na capacidade operacional e de entrega da Aegea. A operação marca o início do maior ciclo de investimentos em saneamento no Brasil por uma empresa privada”, afirma André Pires, CFO da Aegea.

“O BNDES, além de coordenador da oferta com uma participação relevante na alocação da debênture, exerceu um papel fundamental em toda a estruturação da concessão e do financiamento, contribuindo de forma significativa para a universalização dos serviços de saneamento na área de concessão da Águas do Rio”, complementa Pires.

Disciplina financeira, eficiência operacional e cumprimento de metas

A oferta foi marcada por ter grande pulverização em pessoas físicas. “A estruturação deste financiamento, que conta majoritariamente com garantias reais do projeto, é alinhada à estratégia de crescimento da Aegea e da Águas do Rio, respaldada pela disciplina financeira, eficiência operacional e cumprimento de metas. O volume de participação de pessoas físicas na oferta também reforça a crença da população na capacidade da Aegea em reverter o déficit de saneamento no país”, destaca o executivo.

A universalização do saneamento nos 124 bairros da capital e nos demais 26 municípios que fazem parte da área de concessão da Águas do Rio irá gerar benefícios diretos à sociedade e ao meio ambiente, com um ganho líquido para a população de mais de R$ 37 bilhões.

A conclusão é do estudo divulgado pelo Instituto Trata Brasil, que traz uma abordagem ampla dos ganhos econômicos e socioambientais que o estado terá com a expansão dos serviços de água e esgoto durante o período de concessão.

Resultados da atuação no Rio já podem ser notados

Desde novembro de 2021, quando assumiu a operação, a concessionária já investiu mais de R$ 1,5 bilhão com foco na recuperação de ativos e ampliação do sistema. Neste período, 300 mil pessoas passaram a receber água tratada e encanada pela primeira vez.

Praias da Baía de Guanabara, como Flamengo e algumas em Paquetá, apresentam seguidos laudos de balneabilidade, e canais estão sendo recuperados através de ações de fiscalização de despejo irregular e realização de obras pontuais. Além disso, a Lagoa Rodrigo de Freitas apresenta águas límpidas e biólogos registram, seguidamente, a chegada de espécies que haviam deixado de frequentar o ecossistema.

Pular para o conteúdo