Investimentos fazem Campo Grande se destacar em redução de perdas

Investimentos fazem Campo Grande se destacar em redução de perdas

O baixo índice de perdas de água e o monitoramento constante das ações de abastecimento têm dado destaque a Campo Grande. A capital de Mato Grosso do Sul está entre as cinco cidades com o menor índice, ao lado de Nova Iguaçu, Santos, Goiânia e Taboão da Serra. 

Com um índice de 19,74%, Campo Grande está longe da média nacional, que é de 36,51%, resultado dos investimentos da Águas Guariroba nas ações e pesquisas direcionadas à redução de perdas. O resultado alcançado fez com que a cidade fosse citada em matéria do Valor Econômico.

Também foi premiada, em 2022, pelo Instituto Trata Brasil. A cidade conta com um Centro de Controle de Operações (CCO) onde é possível gerenciar e controlar a distribuição de água no município. Esse investimento garante a gestão otimizada da redução de perdas, com ações voltadas à automação, gestão e controle de pressão, fazendo com que reduza os pontos de vazamento nas ruas.

Novas tecnologias para o monitoramento

A Águas Guariroba também vem aplicando novas tecnologias para monitoramento, aumentando a precisão na identificação dos pontos de vazamento e equipamentos com filtro de ruídos utilizados em campo. 

Na parte de pesquisa de vazamento, o geofonamento noturno tem sido um trabalho inovador nas ações em campo. Entre os principais projetos, está o mapeamento das ruas, fazendo uma triagem de sons, otimizando a identificação de vazamentos.

O monitoramento setorizado pelo CCO é um dos alicerces nas operações de controle de perdas, facilitando a identificação de vazamentos. O investimento da concessionária realizado em softwares também é um ponto de apoio importante nas ações de redução de perdas.

Prograama israelense que é referência no controle de perdas

No CCO, o Takadu, programa israelense, é referência no monitoramento do sistema de abastecimento da cidade, identificando de forma dinâmica qualquer anomalia que ocorra na rede. 

Além de softwares, o trabalho conjunto entre equipes de desenvolvimento e novas tecnologias, são os responsáveis pela implantação de projetos pilotos que ampliem a segurança operacional do abastecimento de água da cidade.

Pular para o conteúdo