Raios: como se proteger dessa ameaça

Raios: como se proteger dessa ameaça
Texto: Renata Santos

Sol, calor e dias de chuva são as características do verão, não é mesmo? É… mas cuidado! A estação também acende um alerta para as tempestades, que, na maioria das vezes, vêm acompanhadas de raios.

Para você ter uma ideia, o Brasil é o país com maior incidência de raios, segundo o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais): são aproximadamente 78 milhões de descargas por ano.

Uso de EPIs

Para evitar acidentes, a Ambiental MS Pantanal traz algumas dicas. Nas atividades da unidade, o uso dos EPIs (Equipamento de Proteção Individual) é uma obrigatoriedade.

Além de lançar mão de medidas importantes que vão desde as orientações preventivas às iniciativas que devem ser tomadas antes de uma tempestade.

As ações refletem num dado positivo para a concessionária que, desde 2021, quando iniciou a parceria com a Sanesul, não registra nenhum acidente com raios.

Permanecer dentro dos edifícios

O supervisor da Segurança do Trabalho, Fabio Barbosa da Cruz, destaca que a preocupação da Ambiental MS Pantanal não é apenas com os profissionais que trabalham nas ruas – os que exercem atividade interna também recebem orientações.

A recomendação é que, no período de tempestade, permaneçam dentro dos edifícios estruturados da empresa até a chuva passar.

Ficar longe de árvores

Para aqueles que atuam na área externa, a indicação é que, ao começarem os trovões, o trabalhador procure um local seguro para se abrigar.

O doutor em Geofísica Espacial pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e professor na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Widinei Alves Fernandes, destaca ainda que a pessoa deve evitar ficar próximo a árvores e caminhões.

Isso porque, por causa da altura e sua forma, as árvores tendem a atrair os raios. Ele destaca ainda que, caso não haja a opção, o correto é o trabalhador se ajoelhar, ou seja, ficar numa posição de oração. Dessa forma, o indivíduo diminui a sua altura, e consequentemente a chance de ser atingido.

Interior dos veículos é seguro

O supervisor da Segurança do Trabalho da MS Pantanal diz que é comum os colaboradores dirigirem durante o trabalho. Por isso, nesses casos, ele reforça a importância deles permanecerem dentro do veículo com as janelas fechadas.

Ele lembra ainda das Regras de Ouro da Aegea, que a concessionária segue, e uma delas é o Direito de Recusa. Nesta regra, está descrito que o trabalhador pode exercer esse direito em caso de risco grave e iminente e se tiver dúvida, deve procurar o líder direto.

Fábio destaca que a prevenção é a chave para a segurança durante tempestades. “Tomar medidas proativas pode ajudar a minimizar o risco de acidentes relacionados a raios”, frisou.

Mais sobre os raios e relâmpagos

Segundo o INPE, raio é um relâmpago que atinge o solo. São descargas atmosféricas de grande intensidade que ocorrem dentro das nuvens de tempestade – também conhecidas como nuvens Cumulonimbus – a partir de cargas elétricas provocadas pelo atrito entre partículas de gelo.

Quando o campo elétrico produzido por essas cargas excede a capacidade isolante do ar, a descarga elétrica se forma. Relâmpagos também podem ocorrer no interior de uma nuvem, entre duas nuvens ou de uma nuvem para o ar.

Intensidade de um raio é mil vezes a do chuveiro elétrico

Os raios percorrem distâncias da ordem de 5 km e podem ser denominados ascendentes, quando iniciam no solo e sobem em direção à tempestade, ou descendentes, quando iniciam na tempestade e descem em direção ao solo. A intensidade típica de um raio é de 20 mil ampères, cerca de mil vezes a intensidade de um chuveiro elétrico. O trovão, por sua vez, é o barulho produzido pelo deslocamento do ar na região da atmosfera onde a corrente elétrica do raio circula.

Pular para o conteúdo