Tratamento do esgoto e os 3R’s da sustentabilidade

Tratamento do esgoto e os 3R's da sustentabilidade

Reduzir, reutilizar e reciclar formam o conceito dos 3R’s da sustentabilidade, conjunto de práticas que tem como objetivo minimizar o impacto ambiental causado pelo desperdício de materiais e produtos provenientes de recursos naturais, além de poupar a natureza da extração inesgotável de recursos. 

Mas, o que os 3R’s têm a ver com o sistema de esgoto? Se as redes coletoras de esgoto só recebessem os líquidos produzidos dentro de nossas casas, o conceito não faria tanto sentido. Mas não é isso o que acontece. 

“Esse assunto é tratado frequentemente pela Águas de Holambra, mas é preciso reforçar as boas práticas para que mais e mais pessoas mudem hábitos equivocados”, afirma o gerente de Operações da concessionária, Rodrigo Leitão.

Seguindo os 3R’s, é possível diminuir o custo de vida reduzindo gastos, principalmente no setor industrial, além de favorecer o desenvolvimento sustentável global e contribuir para a reversão dos impactos negativos causados na natureza.

Reduzir em saneamento

Reduzir consiste em ações que reduzam o consumo de bens e serviços, visando à diminuição da geração de resíduos e consequente redução do desperdício. A redução deve englobar tanto a utilização de produtos quanto o racionamento de recursos, práticas que impactam positivamente na economia e refletem na minimização dos danos causados pela geração de lixo e poluição do meio ambiente.

O objetivo da “redução” é a aquisição de bens e serviços de acordo com as reais necessidades de consumo para evitar desperdícios, atentando-se sempre para a utilização consciente desses recursos. Em saneamento tem a ver com o uso consciente da água para reduzir o desperdício. Reduzir também o uso da riqueza natural que cerca a produção do recurso, como evitar o desmatamento e usar menor quantidade de agrotóxicos. 

Reutilizar

Reutilizar contribui significativamente para a economia de recursos renováveis utilizados para fabricar cada vez mais bens de consumo, pois quando reutilizamos um produto, simplesmente atribuímos mais tempo ao seu uso, prolongando sua vida útil. O objetivo desse R é reutilizar tudo o que puder ser reutilizado, oferecendo um novo propósito para um produto que seria jogado no lixo.

Em saneamento, pode ser feito o reúso da água, a exemplo do que acontece na Região dos Lagos, onde a Prolagos tem uma estação de tratamento de água de reúso, a ETAR. A água pode ser utilizada para muitos fins, como irrigação, limpeza de vias públicas, evitando o uso de água tratada.

Outra forma de reutilizar é em relação ao lodo produzido nas estações de tratamento para compor adubo, fertilizante ou mesmo para produzir o gás metano como fonte de energia renovável. A Aegea já foi premiada por projetos de inclusão do lodo na economia circular, em iniciativa feita em parceria entre a Mirante e instituições.

Reciclar

O último dos 3 R’s da sustentabilidade é o mais conhecido e aplicado no dia a dia: a reciclagem. A reciclagem envolve o processamento de materiais por meio da transformação física ou química, geralmente em forma de matéria-prima para produção de novos produtos e bens de consumo. Um produto reciclável deve ser descartado corretamente para coleta seletiva, que se encarregará de destinar os materiais para os lugares corretos.

É esse R que tem relação direta com o comportamento da população quando usa a rede coletora de esgoto para descartar produtos que podem ser reciclados, entre eles o óleo de cozinha usado. A área de Responsabilidade Social da Águas de Holambra desenvolve ações relativas ao tema, inclusive irá disponibilizar coletores de óleo em alguns locais de Holambra, ainda em estudo.

“Conhecer e entender a importância dos 3R’s para repensar os hábitos de consumo é essencial para a transformação do desenvolvimento sustentável”, conclui Rodrigo.

Pular para o conteúdo