Área de compliance é ampliada e reestruturada para fortalecer atuação

Área de compliance - Aegea

Entrevista a Rosiney Bigattão

Como vai ser a atuação de cada um dos núcleos de coordenação?

Michelle: Nossa diretoria atende a todas as unidades da Aegea e estamos divididos em equipes para atender aos vários aspectos do compliance, que são: Reputacional, Investigativo, Cultural, Monitoramento, Preventivo e Estratégico. Eduardo responde pelas frentes de trabalho do Reputacional e do Investigativo. Mel, como é carinhosamente chamada, coordena os profissionais do Preventivo, Cultural e Monitoramento. Já eu sou a responsável pelas unidades do Rio de Janeiro: Águas do Rio e Prolagos. Foi criado um posto avançado da Diretoria de Integridade na Águas do Rio em razão do tamanho da operação. Nós três atuamos em conjunto, coordenando o Compliance Estratégico.

Melissa: A equipe do Compliance Reputacional faz a análise de integridade para que se possa identificar os melhores parceiros. Também é responsável pela avaliação de integridade de colaboradores, análise realizada para cargos que representam maior risco para a empresa. O Investigativo atua na detecção de desvios de conduta, apurando a extensão e possíveis envolvidos. Analisa também as consequências dessas ações, recomendando as tratativas necessárias. Para isso, a Aegea tem o Canal de Ética, que está com novidades (leia mais sobre o assunto na Matéria Especial da Revista Aegea), para ajudar na detecção de fraudes, corrupção, assédios moral e sexual, entre outras inconformidades. O Preventivo é responsável por desenvolvimento, controle, atualização das diretrizes e das boas práticas do Programa de Compliance. O Cultural, como o nome diz, dissemina as noções de integridade por meio de treinamento e da comunicação interna e externa. Monitoramento é responsável pela implementação de sistemas e controles adequados de forma a mitigar e eliminar possíveis riscos. O Estratégico abriga a inteligência tecnológica do compliance. Como tal, envolve todas as áreas.

Como funciona a integração no dia a dia?

Melissa: Nós temos uma sinergia imensa em todas as atividades e tudo é interligado. Por exemplo, se a demanda no Canal de Ética aumenta, em relação ao número de denúncias, entra o trabalho da frente cultural, para propor treinamentos específicos voltados para aquele tema.

Essa nova configuração tem a ver com o crescimento ou com o processo de amadurecimento da Aegea?

Eduardo: Eu diria que tem a ver com ambos. A área de Integridade é guardiã de políticas, diretrizes e procedimentos da empresa, então somos guardiões da conformidade da empresa. Nós estamos aqui para proporcionar segurança e minimizar os riscos, garantindo o cumprimento de todas as normas, regras e leis estabelecidas no nosso país. Com o crescimento exponencial da empresa, surgiu a necessidade de ter uma maturidade interna em relação a compliance também. Da mesma forma que a empresa cresce, aumentam os riscos, as possibilidades de alguns tipos de inconformidade ou atitude que venham a ferir tanto o nosso Código de Conduta quanto às leis a que estamos sujeitos, trazendo riscos ao negócio.

Melissa: Essa nova configuração atende às melhores práticas de compliance. O Programa de Integridade é compreendido pela nossa alta administração como um investimento não só para blindar a empresa contra os riscos inerentes à corrupção, mas para gerar valor agregado como um diferencial perante o mercado.

A percepção que se tem é de que a Aegea investe bastante em compliance; ela se destaca em relação às outras empresas?

Michelle: Com certeza. Me recordo de que uma das minhas primeiras ações, no processo seletivo, foi pesquisar a estrutura de compliance da Aegea. O resultado foi surpreendente e me encheu os olhos. Dificilmente você encontra em grandes empresas uma área tão robusta e bem elaborada quanto a da Aegea. A empresa é referência em compliance, é um diferencial enorme no mercado.

Compliance é um tema bem-aceito ou ainda enfrenta resistência?

Eduardo: Existe uma certa resistência quanto ao tema no país, não só na Aegea, pois é uma área relativamente nova. Compliance vem ganhando uma projeção significativa no mercado e precisamos nos adequar e acompanhar esse crescimento.

Michelle: Acredito ser esse um bom exemplo de que estamos em linha com essa tendência de governança corporativa, que é a nossa certificação ISO 37001. Trata-se da primeira norma internacional de Sistema de Gestão Antissuborno e em 2018 nos tornamos a primeira empresa de saneamento do país a receber a certificação. Em dezembro de 2021 ocorreu a renovação, que tem validade até dezembro de 2024.

Qual é a estratégia de ação?

Melissa: A área de compliance está mais estratégica, queremos atuar cada vez mais como parceiros das áreas, fortalecendo a cultura de integridade.

Eduardo: O foco é disseminar esta nova cultura, mostrar que nós estamos aqui protegendo o negócio. O importante é que somos um aliado para que continue esse crescimento exponencial, e que a empresa tenha a possibilidade de conquistar cada vez mais credibilidade, sem ter nenhum tipo de problema reputacional nessa caminhada.

Vai ter um olhar específico de compliance para a campanha eleitoral?

Melissa: Sim, é um tema que tem especial atenção da área de Integridade, pois o processo eleitoral, em todas as suas fases, enseja preocupações que podem expor a empresa a riscos reputacionais e legais. Em função disso, é realizado um forte trabalho de conscientização, que inclui treinamentos, ações de comunicação, palestras com especialistas no assunto, entre outras medidas para prevenir contra condutas inadequadas relacionadas ao assunto.

Eduardo: Além disso, nós já temos a obrigatoriedade de monitorar qualquer relacionamento com agentes públicos. Temos uma agenda na qual tudo fica registrado e está sob a nossa responsabilidade o fornecimento mensal das informações ao Conselho de Administração.

Quais as principais metas de compliance para 2022?

Michelle: Nossa maior meta, sem dúvidas, é montar a equipe de Monitoramento, automatizar nossos processos e aprimorar nossos treinamentos, na modalidade Educação a Distância (EaD), em parceria com a Academia Aegea.

Quais os benefícios para a empresa e para os colaboradores em ter uma estrutura de integridade como a que a Aegea está construindo?

Melissa: O Programa de Compliance da Aegea agrega valor ao negócio ao demonstrar o comprometimento da companhia com a cultura de integridade. Os benefícios são muitos: reforçar os valores éticos e a cultura anticorrupção da organização; reduzir as perdas financeiras com diminuição de litígios administrativos e judiciais; proporcionar segurança na realização dos negócios, e reduzir riscos de danos reputacionais. Compliance é também um importante elemento para a atração e retenção de talentos, uma vez que é um diferencial tanto para a empresa quanto para os seus colaboradores, pois cria o orgulho de pertencer a uma empresa ética e íntegra.

Norma e Justo estão ajudando a consolidar os valores da empresa?

Melissa: Eles são nossos colaboradores virtuais e foram muito bem recebidos pelas áreas, chegaram ao fim de 2021 e a receptividade foi realmente incrível. Tem sido muito enriquecedora a atuação deles, tem ajudado a criar maior engajamento e também a simplificar a comunicação. Eles convidam o colaborador a falar de ética e integridade com mais leveza. Recebemos retornos excelentes de que, de fato, estamos com uma linguagem mais simples e mais engajada.

Qual a mensagem final?

Melissa: Nós acreditamos que a integridade está no centro de tudo o que fazemos, pois sem ela o nosso nome nada significa. Integridade significa ater-se aos nossos valores, realizar negócios de forma responsável, transparente e ética. Trabalhando juntos e com o mesmo propósito, buscamos assegurar que a reputação da Aegea permaneça sempre sólida.

Mais sobre os entrevistados

Eduardo Mélega, coordenador de Integridade da Aegea

Formado em Direito e pós-graduando em Compliance pela Fundação Getulio Vargas (FGV) de São Paulo. Depois de aproximadamente dez anos de advocacia, foi para a área de compliance na Odebrecht Engenharia e Construção. Trabalhou também em uma empresa de recolhimento de resíduos sólidos, com diversas unidades pelo Brasil. Na Aegea desde o fim do ano, é o responsável pelas frentes Reputacional e Investigativa da área de Integridade.

Melissa Martins, coordenadora de Integridade da Aegea

Assumiu a Coordenação de Integridade para cuidar das frentes Preventiva, Cultural e de Monitoramento. Paulistana, formada em Direito, é advogada especialista em Gestão de Riscos de Fraudes e Compliance. Atuou em grandes empresas como o grupo industrial Siemens, a operadora de saúde Unitedhealth Group e se desligou da startup Contabilizei para abraçar o saneamento na Aegea em janeiro de 2022.

Michelle Guimarães, coordenadora de Integridade da Águas do Rio

Carioca, ela é a responsável pela área no posto avançado da Águas do Rio, única unidade que tem uma equipe dedicada ao tema. Na empresa desde novembro de 2021, é formada em Psicologia e pós-graduada em Compliance e Integridade Corporativa. Atuou por aproximadamente 20 anos em Inteligência e Investigações Corporativas, tendo passado por grandes empresas como TV Globo e CSN.

Skip to content