Dia Mundial da Água: o nosso dia

Dia Mundial da Água: o nosso dia

Um dia para celebrar ou para se preocupar? O ideal é um pouco dos dois. Por um lado, a atuação diária de empresas como a Aegea, que faz da data uma oportunidade para reforçar o protagonismo dos agentes envolvidos com esse ciclo de vida tão importante. São colaboradores, clientes, executivos, enfim, quem faz o saneamento acontecer. 

Pessoas como Myllena Machado da Silva, leiturista da Águas Guariroba, unidade da Aegea em Campo Grande (MS). A vida dela é levar mais saúde e dignidade para milhares de famílias por meio de seu trabalho. Ou como Ronaldo Moreira de Araújo, técnico em Química da Águas de São Francisco, concessionária em Barcarena (PA). As histórias estão no AE Play.

Questões que exigem urgência 

O Dia Mundial da Água traz também o sentido de urgência que o assunto merece e é divulgado por organismos de todas as instâncias, de várias partes do planeta. Uma demonstração é que, pela primeira vez, a Organização das Nações Unidas (ONU) promove uma conferência internacional voltada à água, em Nova Iorque, com apoio da Aegea leia mais a seguir.

A relevância que o tema da água ganhou está também no novo relatório de clima do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, o IPCC, elaborado por um grupo de cientistas estabelecido pela ONU, merece leitura atenciosa. O IPCC tem 195 países membros, inclusive o Brasil. 

Os relatórios apontam o que se conhece sobre a mudança do clima, identifica onde há consenso na comunidade científica e onde é preciso pesquisar mais. 

A atualização divulgada em 20 de março, alerta: a temperatura do planeta deve chegar ao fim do século 1,5ºC acima dos níveis vistos no século XIX. 

O aquecimento já provoca temperaturas mais altas, dias muito quentes como o deste último verão e eventos climáticos extremos como o volume de chuvas como o do litoral norte de São Paulo. O Podcast Ao Ponto, que integra o Projeto Um Só Planeta, que tem o apoio da Aegea, acompanhou a divulgação do relatório e explica os pontos principais. Confira.

Mudanças exigem envolvimento de todos  

A The Nature Conservancy, que trabalha para proteger as terras e águas das quais toda a vida depende, traz uma interpretação bem interessante do relatório. Levanta os principais pontos descritos no relatório e o que cada um de nós pode fazer a respeito. Um guia que aponta possíveis desempenhos para governos, empresas e indivíduos.

Aprender como falar sobre mudanças climáticas, compartilhar suas ideias, participar de ações coletivas e continuar aprendendo sobre o assunto são atitudes sugeridas para cada um de nós. Confira clicando aqui. O texto aponta também ações para o setor privado, como o compromisso em zerar as emissões de carbono.

Como? Mudando as fontes energéticas para energia limpa, por exemplo. 

Na Aegea, atualmente 94% da energia consumida é de fontes renováveis. A empresa avança em sólidas parcerias, possui projetos de geração distribuída em operação e implementação em 10 estados e se comprometeu com metas sustentáveis para reduzir o consumo de energia em suas unidades. 

São muitos os caminhos e cada passo conta muito. Leia outros dados divulgados no Dia Mundial da Água no Aegea Blog.

Pular para o conteúdo