Paixão pela profissão é ingrediente para crescimento

Paixão pela profissão é ingrediente para crescimento

“Não espere motivação como sendo uma fórmula mágica que entrará na sua mente e, de repente, você começará a produzir. Para isso, é preciso foco no objetivo, disciplina e consistência. Ninguém pode parar uma pessoa decidida”, ensina a analista de Qualidade Sênior das unidades da Aegea no Espírito Santo, Luylma Gomes de Almeida. 

Quem convive com ela sabe bem que esta é a tônica da rondoniense de nascimento, mas capixaba de coração – há 11 anos vivendo no Espírito Santo. A história de Luylma com o saneamento começou em 2015, no início das atividades da Parceria Público-Privada no município da Serra

“Cheguei para implantar o Sistema Integrado de Gestão (SIG), atividade que perdura até os dias de hoje. De apenas uma concessão lá no início, já estamos na terceira cidade com este desafio rumo à melhoria contínua”, conta.

Um dos maiores desafios da carreira de Luylma foi a obtenção em tempo recorde das certificações internacionais da Ambiental Serra, o que foi alcançado graças às boas práticas implementadas pelo SIG. “Foi dedicação intensa, já que em seis meses nós conseguimos obter de forma simultânea as três certificações, sendo elas: ISO 9001, ISO 14001 e ISO 45001”, explica. 

Ao atuar com a formação de agentes multiplicadores nas unidades do Espírito Santo, Luylma é reconhecida entre os colaboradores como uma pessoa que corre atrás dos seus objetivos. A trajetória bem sucedida diz muito sobre o seu olhar para a vida. 

“Não espere que alguém faça algo por você e não espere a melhor situação. Comece hoje. Penso que tudo é uma questão de prioridade e nem sempre teremos o melhor cenário, mas o que você pode fazer com o que tem? Se pergunte, assuma o seu protagonismo e siga em frente”, finaliza.

Do estágio à coordenação: Maraí inspira por sua dedicação em evoluir

Apesar de não existir uma fórmula mágica para o sucesso, quem deseja ter sucesso em sua trajetória profissional precisa ir atrás do que deseja, com muita garra e determinação. É o caso da coordenadora jurídica das unidades da Aegea no Espírito Santo, Maraí Gonçalves de Angelo, de 28 anos, que começou sua carreira na empresa em 2015, como estagiária.

Maraí é formada em Direito pela Universidade de Vila Velha e desde cedo começou a trabalhar. 

“O trabalho é um valor para minha vida: sempre fui guiada por um instinto de querer aprender tudo e, consequentemente vencer. Guardo em minha memória muitas dificuldades em vários momentos da minha vida, mas sou grata pelos tempos difíceis que me deram oportunidade de crescimento”, diz. 

Na estrada para conquistar resultados, Maraí conta que está sempre em busca de conhecimentos. 

“Eu sou protagonista da minha história; à medida que fui ficando mais experiente, novos aprendizados surgiram e eu fui me envolvendo e crescendo cada vez mais. Especificamente como líder do setor jurídico das unidades da Aegea no Espírito Santo, eu fui sendo preparada com os desafios do negócio”, explica. 

Para crescer na carreira, em seu dia a dia, uma das principais dicas de Maraí é ter equilíbrio em muitos momentos, mantendo o foco no objetivo principal, que é de sempre evoluir. 

“Quando eu olho para a minha trajetória, sinto um frio na barriga e muita gratidão. Estou realizada com o que construí até aqui e sei que ainda tenho muito para me desenvolver e ajudar as pessoas que estão comigo”, conta.

Paixão por acaso: Juliana vence os desafios e cresce no saneamento

A história de Juliana de Castro com o saneamento começou por acaso. Quando ainda estava no Ensino Médio, ela ingressou em um estágio na Cesan, parceira das concessionárias da Aegea no Espírito Santo nos serviços de esgoto e, a partir dali, se viu completamente envolvida com a área. 

“Desde o primeiro contato com o saneamento, obtive muita experiência, tanto nos serviços de água quanto nos de esgoto. Desde então, não pretendo sair da área, mas sim aprimorar cada vez mais, buscando aprendizado, me aperfeiçoando no que faço”, afirma a supervisora de Programação de Serviços das unidades do Espírito Santo.

A trajetória iniciada em 2016 tem idas e vindas. Após completar um ano na empresa, ela foi promovida a supervisora de Campo, dentro da manutenção. No entanto, houve um desligamento. “Como já havia iniciado a faculdade de Engenharia Civil, tive que fazer estágio, onde  prestava serviço para a PPP”, conta.

O tempo longe das unidades não durou muito. Em 2019, ela recebeu um convite para retornar à empresa e, desde então, não para de crescer. Atualmente na Supervisão de Programação, Juliana acredita que os desafios diários a estimulam a se desenvolver cada vez mais. “Sempre tem algo novo. Isso faz com que a gente se reinvente para seguir evoluindo com o nosso trabalho a cada dia que passa”, encerra.

Pular para o conteúdo